Novo secretário de Agricultura de Minas, Zé Silva quer continuar e aprofundar o diálogo com lideranças rurais

Novo secretário de Agricultura de Minas, Zé Silva quer continuar e aprofundar o diálogo com lideranças rurais

zesilva

Ao assumir a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais – SEAPA, no segundo dia deste ano, o deputado federal e extensionista rural Zé Silva manifestou seus agradecimentos ao Governador Antônio Anastasia, pela confiança, e se disse determinado em corresponder às expectativas do setor. Para o novo secretário, o objetivo agora é aprofundar o diálogo com produtores, lideranças e organizações rurais, somando forças e esforços paraassegurar e avançar em todas as conquistas que a SEAPA alcançou nos últimos anos”, disse. Para isso, o secretário Zé Silva quer fazer de sua gestão à frente da Agricultura um momento para reflexão, avaliações e consolidação das ações e caminhos percorridos desde 2003, quando a SEAPA, sob gestão do então secretário Odelmo Leão, elaborou um amplo diagnóstico da agropecuária mineira, e que foi a base de seus principais programas e projetos até agora. “Vamos ouvir as lideranças do setor e os produtores rurais, dialogar e interagir com todos os que fazem o trabalho e a força da agropecuária mineira. Desse diálogo esperamos que sejam descobertas novas potencialidade e os caminhos adequados para superar os desafios ao desenvolvimento da agropecuária de Minas”, acrescentou.

Profissional de carreira da Emater-MG, deputado federal pelo Partido Solidariedade, eleito com 110.570 votos, Zé Silva liderou no Congresso Nacional as lutas para o fortalecimento da Extensão Rural e o desenvolvimento rural sustentável. Entre as conquistas para o setor e o fortalecimento da agricultura familiar estão a criação da Anater – Agência Nacional da Assistência Técnica e Extensão Rural, a formação da Frente Parlamentar da Extensão Rural, e a criação da Subsecretaria de Agricultura Familiar e Extensão Rural no âmbito da Comissão da Agricultura da Câmara Federal.

Leia mais da entrevista com o secretário de Agricultura, deputado federal Zé Silva:

O senhor é engenheiro agrônomo, profissional de carreira da Emater-MG. Portanto, na agropecuária está em seu meio profissional. Quais as suas expectativas nessa nova função pública?

Zé Silva – São as melhores, porque o Sistema da Agricultura do Governo de Minas tem equipes e profissionais de alta qualidade, em todas as suas áreas operacionais e de gestão. Portanto, trata-se de um sistema que tem dinâmica e condições adequadas para alcançar os resultados propostos e planejados, resultados que foram relevantes nesses últimos anos. Eu creio que se trata agora de consolidar essas conquistas, mas também de construir novos caminhos, assumir desafios e criar uma renovada dinâmica para o desenvolvimento do setor. Ea maior sustentação para esse novo tempo é ouvir e dialogar com todos os que fazem no dia a dia a nossa agropecuária, em todas as suas dimensões.

Quais seriam essas novas oportunidades para o setor, e quais os desafios?

Zé Silva – Desafios e oportunidades muitas vezes se confundem, como naquela história da crise e oportunidade. Temos muitos desafios, claro, e um deles é a questão das estruturas adequadas para a cadeia agroindustrial da carne. Desafio não só de Minas, mas de todo o País. Trata-se de uma questão muito complexa mas, se resolvida, teremos novas oportunidades de desenvolvimento econômico e social. Um outro desafio é a necessidade de mudança na legislação sanitária em nível federal, embora Minas tenha a mais moderna e avançada legislação sanitária. A legislação federal foi elaborada ainda em 1952, e está bastante desatualizada. Também essa questão, se resolvida adequadamente, pode significar um inédito desenvolvimento para o setor agroindustrial, especialmente para os médios produtores e para a agricultura familiar. Mas, quero reiterar que a melhor resposta para desafios e exploração de potencialidades será a que emergir de forma coletiva, com a participação e o diálogo entre todos os segmentos do setor agropecuário.

Profissional da Emater-MG, o senhor tem grande interação com a agricultura familiar. A SEAPA tem uma Subsecretaria de Agricultura Familiar, mas historicamente interage mais com a agricultura não familiar. Como o senhor vê essa questão?

Zé Silva – O Governo de Minas, é claro, reconhece essas dimensões no agronegócio, a agricultura familiar e a não familiar. Esse reconhecimento se traduz nas diretrizes e nas ações da Subsecretaria de Agricultura Familiar. Ou seja, a maneira correta de tratar esse setor fundamental da economia agrícola, que é a agricultura familiar, já está posta e bem conduzida na SEAPA. Portanto, nesse momento em que queremos continuar e aprofundar o diálogo para construir uma nova dinâmica para o desenvolvimento rural, estamos falando de um diálogo com todas essas dimensões de nossa economia agrícola.

EMATER, IMA, EPAMIG e Ruralminas compõem o Sistema Operacional da Agricultura, vinculadas à Secretaria. O senhor propõe alguma diretriz especial para esses órgãos?

Zé Silva – Não há motivos para isso, pois a SEAPA vem de gestões de alta qualidade,então não há que falar em novas diretrizes. Conheço muito bem o Sistema, desde minha gestão na EMATER. Tenho certeza do engajamento desses órgãos nas responsabilidades que assumimos na Secretaria, que não se medem apenas pelo tempo que estaremos aqui, mas pelas diretrizes e compromissos do Governo de Minas Gerais para com o desenvolvimento do setor. Todos temos um estilo próprio de gestão, e isso deve mudar um pouco a dinâmica do Sistema, mas preservando, é claro, as diretrizes da gestão executada pelo secretário Elmiro Nascimento, sob a liderança do Governador Antônio Anastasia.

Elias Miranda de Resende

Diretor Patrocínio VIP

Comments

Deixe um comentário