Infecção por superbactéria fecha UTI do Hospital de Clínicas da UFU

Infecção por superbactéria fecha UTI do Hospital de Clínicas da UFU

A infecção provocada por uma superbactéria em seis pacientes obrigou o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) a interditar os 30 leitos de sua Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ao todo, 25 unidades do hospital estão ocupadas. Os pacientes estão isolados e as visitas foram reduzidas de três para uma por leito. A previsão é que a liberação completa das UTIs só aconteça em um mês. Em uma reunião, na tarde de ontem, não se chegou a uma definição de como será o atendimento para casos graves no Município. Um novo encontro será realizado hoje para discutir o assunto.

hcudia

Por meio de nota, a direção do HC-UFU informou que foi detectada colonização e/ou infecção pela bactéria Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase (KPC) em pacientes internados na UTI para adultos. A KPC pode causar pneumonia e infecções – que podem ser sanguíneas, urinárias e em feridas cirúrgicas -, que podem evoluir para um quadro de infecção generalizada.

Ainda segundo o HC-UFU, o processo de desinfecção será feito à medida que os leitos forem liberados. A estimativa da direção da unidade é terminar o processo em quatro semanas.
Enquanto isso, no Hospital Municipal de Uberlândia, onde não houve caso de infecção provocada pela superbactéria, 39 dos 40 leitos de UTI estão ocupados e um passa por manutenção. Portanto, na noite de ontem, não existiam vagas de terapia intensiva nos hospitais públicos da cidade.

Outro caso

Em dezembro de 2014, o Hospital Municipal sofreu de problema parecido, também envolvendo uma superbactéria, quando uma gestante de 17 anos foi transferida e duas crianças foram isoladas depois que dez leitos da UTI Neonatal da unidade foram interditados. À época, a desinfecção levou cerca de 26 horas para ser concluída. Não houve mortes em decorrência da bactéria na ocasião.

Plano para atendimento será definido em reunião hoje

Representantes dos Ministérios Público Estadual (MPE) e Federal (MPF), do Corpo de Bombeiros, da direção do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) e da Prefeitura de Uberlândia vão se reunir, hoje, para definir um plano de atendimento a pacientes graves no Município. Na tarde de ontem, o representante do Executivo local não pôde determinar como ficaria a situação em casos de necessidade de leitos de UTI na rede pública.

“Essa é uma decisão que cabe ao gestor, que é secretário de saúde, e ao prefeito. Ele (o gestor) vai ter de apresentar alternativas”, disse o promotor Lúcio Flávio Faria e Silva.
Por meio de nota, o Município informou que “as unidades de saúde trabalham unificadas em esquema de rede e permanecerão mobilizadas na prestação de assistência aos pacientes dentro dos critérios estabelecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”.

 

 

Fonte: Site correiodeuberlandia.com.br

Elias Miranda de Resende

Diretor Patrocínio VIP

Comments

Deixe um comentário