“Elas no Café” celebra Dia da Mulher e inicia atividades do grupo de mulheres da Expocaccer

“Elas no Café” celebra Dia da Mulher e inicia atividades do grupo de mulheres da Expocaccer

Evento realizado em Patos de Minas, na Fazenda Reserva Heitor, mostrou as possibilidades que o café oferece como negócio.

Comunicação Expocaccer

As mulheres atuam nos diferentes elos da cadeia do agronegócio e, a cada, estão rompendo os limites. Foi pensando neste contexto que a Expocaccer promoveu o evento Elas no Café, reunindo mulheres do seu quadro social para troca de informações, para se inspiraram com histórias de sucesso e também para reativar o Grupo de Mulheres da Cafeicultura, que agora passa a se chamar, oficialmente, Elas no Café, sendo apresentada a grade de atividades para sua consolidação.

As ações destinam-se às mulheres do quadro social da Expocaccer, ou seja, cooperadas, esposas e filhas de cooperados. Participaram deste momento que também homenageou as mulheres pela data especial, 70 pessoas. O evento contou com a parceria das empresas: Sebrae, Bayer, Cultura Agronegócios, Trajetus Turismo, Cemil e Unipam.

Inspirando mulheres do café

O evento foi iniciado com o painel: “Esse café é meu: o caminho encontrado por mulheres para fazer do café o seu negócio”, com o intuito de mostrar a diversidade de papéis das mulheres na cafeicultura, trazendo como expositoras exemplos de dedicação e persistência no segmento. Foram elas: Caprice Cerchi, mestre de torra e QGrader, também sócia-proprietária da Ísole Cafés Especiais; Eliane Cristina Barbosa Cardoso, Superintendente da Coocacer Araguari; Érika Urban, diretora administrativa do Grupo Farroupilha, cafeicultora na Fazenda Rio Brilhante e cooperada da Expocaccer; Mariana Heitor, cafeicultora na Reserva Heitor (anfitriã do evento), cooperada e conselheira administrativa da Expocaccer e Mariana Proença, jornalista e diretora de conteúdo da Café Editora e Revista Espresso.

Na narrativa de suas trajetórias no café, as expositoras demonstraram que são confiantes quanto as próprias habilidades, porém, para conquistar seu caminho, passaram por desafios diários e revelaram a necessidade da busca permanente de conhecimentos para o sucesso. “No início busquei por ajuda profissional qualificada e aprendizado através de cursos e seminários, que foram fundamentais, hoje já consigo caminhar com mais segurança e propriedade no meu negócio. Acredito que muitas são as mulheres que driblam dificuldades para se tornarem líderes com vontade e superação diária, com coragem, competência e, principalmente, paixão pelo negócio”, esclarece Érika Urban.

Para a cafeicultora Mariana Heitor o momento escolhido foi assertivo para promover o debate e reunir mulheres para compartilhar experiências. “O evento reuniu muitas gerações de mulheres que trabalham e vivem do café. No encontro foi possível ampliar nossa rede de contatos e estimular novos negócios, não só na fazenda, mas em toda a cadeia produtiva do café, ou seja, foi importante para mostrar para as cooperadas as diversas etapas em que se pode trabalhar com o café. Quero parabenizar a Expocaccer por nos proporcionar um dia 08 de março tão especial, rodeado de pessoas queridas e de muita troca. Acredito que este evento tende a crescer, assim como a força da mulher no agronegócio”.

Unidas para compartilhar experiências e vencer os desafios

Dentre os desafios citados, o preconceito e a desconfiança pelo gênero ainda existe, mas isso não as impede de batalhar pelo seu lugar no mercado e de se tornarem casos de sucesso.

“O evento foi muito produtivo, porque trouxe diversas histórias de mulheres na cafeicultura, dentro do setor café, histórias diversas com origens diferentes, que incentivaram e ajudaram a gente entender como é possível trabalhar em diversos campos do café. Também mostrou que ainda nós mulheres, temos que construir e superar as dificuldades que, infelizmente, quase todas acabam passando, até mesmo pela questão de gênero, ou seja, mostrou que ainda é preciso lutar e mostrar que é possível, sim, a mulher estar em cargos de liderança, liderar grupos e situações dentro da cafeicultura. Então o evento serviu de exemplo, para todas as mulheres presentes, apresentando caminhos e oportunidades e que não é necessário sair, às vezes da realidade, mas, sim, tentar transformá-la no meio em que você está atuando. O evento foi muito bem organizado pela equipe da Expocaccer, com isso trouxe um público grande e participativo, as perguntas do debate foram bem pertinentes e o dia foi muito produtivo, agradeço pelo convite e espero estar presente em outras oportunidades.” conta Mariana Proença, jornalista e diretora de conteúdo da Café Editora e Revista Espresso.

O debate, momento muito aguardado, foi conduzido pela professora universitária na UVF, Doutora, Mestre e Bacharel em Administração de Organizações e pesquisadora de gênero na gestão de relações de trabalho, Raquel Soares Santos Menezes. Raquel fez perguntas chaves para as expositoras, com o intuito de estimular as mulheres presentes do evento a assumirem seu papel no negócio da família.

“O evento trouxe histórias motivadoras de mulheres que atuam diretamente em diversas frentes de serviço, mas com foco no café, e que encontraram na cafeicultura, seja por uma questão familiar de sucessão, ou até mesmo de oportunidade profissional de descobrir um novo segmento, um novo mundo e uma nova paixão. Essas mulheres estão traçando trajetórias bastantes inspiradoras, trajetórias muito ricas, como também mostrando o número de oportunidades que o café oferece. Após o debate, também analisei, pela conversa que tive com outras mulheres presentes, que o evento, Elas no Café, foi um momento de acreditar na importância dos projetos voltados para mulheres, que já tem alguns anos que vem sendo realizados na Região, então, realmente veio para comprovar que é um assunto de grande interesse e que ainda há uma necessidade de aprofundar em várias questões, e a Expocaccer, como outras entidades, vem suprindo essas necessidades e atendendo o que essas mulheres esperam e necessitam, que é informações e qualificação, para que elas possam, assim, almejar e conquistarem seu lugar na cafeicultura.” ressalta a mediadora.

Momento de celebrar a força das mulheres do café

Para finalizar, a advogada Mirian Gontijo, realizou a palestra “A Revolução Feminina”, que encantou os presentes com sua fala amistosa e emocionada destacando o papel da mulher em vários momentos da história, fechando a grade de apresentações que de acordo com as declarações, agradou ao público alvo presente.

“Achei ótimo o evento, as palestras foram produtivas e é sempre muito bom poder participar, sempre aprendendo coisas novas”, afirma a cafeicultora Natália Naimeg. Para Danielle Fernandes, colaborada da Expocaccer, o evento também foi proveitoso, pois “trouxe em enriquecimento para nós mulheres. Um dia de muito aprendizado, diversão, alegria e reconhecimento. Com uma dinâmica ímpar que colaborou para comemorarmos o dia da Mulher com reconhecimento e respeito”, avalia.

Objetivo alcançado

O conteúdo e o formato do evento, pensado pela Expocaccer, para motivar e inspirar as mulheres a encontrarem seu posicionamento no negócio da família, foi alcançado, como afirma Flávia Moraes, arquiteta e esposa de cooperado da Expocaccer.

“O evento proporcionou um bate-papo extremamente agradável sobre o começo das expositoras na cafeicultura, são mulheres ligadas direta e indiretamente no processo e divulgação, abrindo para nós um leque de novas oportunidades e talvez desafios. Somos hoje na grande maioria mulheres esposas, irmãs ou mães de produtores rurais, mas que, num futuro próximo, com o apoio, preocupação e engajamento da Expocaccer, afirmo que poderemos entrar no ramo da família sabendo pelo menos na teoria alguns conceitos. Parabéns pelas iniciativas e ações que a cooperativa vem tomando e afirmo que passar o dia das 08 de março ao lado de mulheres tão inspiradoras foi um grande presente”, finaliza.

Elias Miranda de Resende

Diretor Patrocínio VIP

Comments

Deixe um comentário