Quarta 26 Julho 2017,
Patrocínio VIP

Dr. Ari rebate inverdades da nota de esclarecimento divulgada pela Câmara Municipal

RESPOSTA sobre a Nota de Esclarecimento divulgada pela Mesa Diretora da Câmara Municipal na data de 27 de junho de 2017 – por comentários inverídicos e infundados.

Nos termos do artigo 5º, inciso V da Constituição Federal de 1988 e também da Lei 13.188/2015, o Vereador José de Arimatéia Neves vem a público esclarecer os fatos narrados naquela Nota de Esclarecimento:
Ao contrário do que afirmou a nota de esclarecimento dizendo que o Vereador fez interpretação errada e maldosa, o mesmo esclarece para toda a população Patrocinense e principalmente para seus eleitores que a proposta de Emenda à Lei Orgânica está retirando do texto alíneas que não são utilizadas pelos sucessivos Presidentes anteriores e que apenas constam do Texto Legal.
Esclarece ainda que, o artigo 18 da Lei Orgânica Municipal, diz que: “Poderá ser concedido”, o que é uma faculdade e não uma obrigação legal, conforme quer fazer crer a Mesa Diretora, ou seja, faculdade é uma opção que cabe ao Presidente da Câmara através de seu Poder Discricionário conceder ou não os direitos que lá existem.
Entretanto, devido à moralidade que anteriormente se impunha no Poder Legislativo, foram excluídos esses benefícios há vários anos atrás, como por exemplo:
a) desde o ano de 1998 a Câmara Municipal não paga sessão extraordinária aos vereadores;
b) com relação ao pagamento da verba indenizatória, é pura inverdade a afirmativa na nota, uma vez que existe atualmente a Resolução nº 51/2016 que regulamenta as diárias de viagens dos vereadores e assessores parlamentares, que em momento algum está sendo revogada, sendo infundada e leviana tal afirmativa; Da mesma forma desde o ano de 2002 NÃO é pago o adicional de 50% para o Presidente da Câmara Municipal, sendo que a própria justificativa do projeto de lei diz que há muito tempo não são contempladas;
c) com relação a afirmação de acabar com o recesso de 60 dias em dezembro e janeiro e 30 dias no mês de julho; Da mesma forma no referido projeto de lei não versa explicitamente sobre os períodos de recesso; Entretanto a alínea “b” do referido projeto é contraditória, pois o recebimento de 1/3 a mais do valor do subsídio mensal no mês de julho, pressupõe-se que seja o direito consagrado das férias contidas na CLT, então, porquê motivo acrescentar um terço do valor a mais, se foi retirado o recesso, contradizendo a consagração constitucional do gozo das férias anuais por todos os trabalhadores brasileiros.
Da mesma forma, percebe-se que a Mesa Diretora não consegue interpretar uma Lei, pois ao contrário do publicado na nota de esclarecimento quando diz que o vereador está em seu terceiro mandato e não sabe o que quer dizer LEGISLATURA, o Projeto de lei em questão, nem tão pouco a justificativa diz em momento algum que começaria a vigorar a partir de 2021, sendo que a contrariamente a proposição de lei, diz em seu artigo 3º: “Esta Emenda à Lei Orgânica entra em vigor na data de sua Publicação.”
Portanto, ao dar publicidade para a Emenda de Lei Orgânica, a mesma entrará em vigor imediatamente, contradizendo os dizeres da Nota de Esclarecimento.
Portanto, o que se nota é que aprovariam subitamente na “calada da noite”, um adicional de 1/3 a mais do valor de seus subsídios mensais, furtando-se dos princípios legais, principalmente daquele que reforça a moralidade e eficiência nos três poderes que vigoram em nosso País.
Há de se esclarecer ainda, que o próprio Município está em Calamidade Financeira decretada pelo Sr. Prefeito Deiró Marra, o que NÃO JUSTIFICA EM MOMENTO ALGUM A CRIAÇÃO DE MAIS UM DIREITO/BENEFÍCIO AOS VEREADORES, pois os funcionários públicos não tiveram o reajuste anual, determinado pela Constituição Federal, em seu artigo 37; bem como a saúde pública municipal está demitindo médicos especialistas dos atendimentos das Unidades Básicas de Sáude e também do Centro Viva a Vida Dona Lica.
Logo, se é que a Mesa Diretora vela pela supremacia do interesse público, deveria retirar os direitos e NÃO ACRESCENTAR UM DIREITO A MAIS, onerando ainda mais os cofres públicos, com um terço de férias para 15 vereadores, além dos encargos previdenciários.

José de Arimatéia Neves
Vereador PSDB

Marisa Jacinta de Oliveira
Assessora Parlamentar

Comentários

comentários

Gostou? Compartilhe!

Sobre o autor

Diretor Patrocínio VIP